Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Nenhures

bv.jpg

Há pouco aqui o referi (e expliquei o processo). E agora repito (mas não a explicação): há alguns anos dediquei-me a escrever uma espécie de livro sobre a minha experiência profissional austral. Seria o "Basta Viver: Um Olhar Embaciado Sob Moçambique", uma introdução e 12 capítulos, uns textos mais longos, escritos em tom académico. Depois, por razões várias, interrompi a (demorada) tarefa.

Há pouco regressei àquilo, burilando alguns textos, completando outros. Escolhi divulgá-los - pois deram-me demasiado trabalho para que os deixe eu nas catacumbas dos meus arquivos. E estou (re)publicá-los na minha conta da rede Academia.edu. Em fascículos. Talvez algum visitante se possa interessar neles, ou conheça alguém que se interesse  e assim faça uma chamada de atenção, até mesmo um reenvio. Não serei pago por os ter escrito, mas a remuneração em leituras alheias ser-me-á, garanto, suficiente...

Entretanto há duas semanas o já centenário sábio Edgar Morin veio proferir uma conferência a Lisboa. E teve a devida cobertura noticiosa. Na qual abundaram as referências à "lusofonia" - talvez porque uma das instituições co-organizadoras da sessão carrega esse termo/sonho no seu nome. Sorri. E dei um retoque nos rodapés de um texto meu sobre a tal lusofonia - esse que já me custou um bom emprego, como aqui narrei, pois um mandarim académico se ofendeu por eu ali ter escrito o óbvio, isso de se filiar ele na tralha utópica que dá subsídios a quem a profere. E também tirei as teias de aranha aos textos que o antecediam nesse meu projecto. 

E então aqui deixo as ligações para os cinco primeiros textos ("artigos", "capítulos", como se quiser) desse meu vetusto projecto. Ficam, repito-me, para quem se interesse pelo que passou na cabeça de um antropólogo português em Moçambique:

5. Olhar Português em África: ensaio sobre a lusofonia. - uma visão crítica sobre as crenças na "lusofonia" e sua ambivalente articulação com as visões sobre o(s) império(s) português(eses).

4. A Apneia Desengajada: a antropologia e o desenvolvimento. - uma reflexão autobiográfica sobre a utilização da Antropologia nos projectos de Desenvolvimento.

3. Antropologia: a ciência do colono? - sobre as invectivas à Antropologia, reduzindo-a a "ciência colonial" ou "pós-colonial".

2. "As Botas do Antropólogo: sobre os métodos de trabalho em Antropologia". - uma memória sobre as várias técnicas de pesquisa que utilizei em trabalhos realizados em Moçambique.

1. (Introdução) "Do Maputo ao Rovuma, do Zumbo às Águas do Índico"; - a apresentação do projecto que conduziu a realização deste trabalho.

Em breve colocarei mais ligações aos textos que for definitivamente terminando.

Gerente

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador

Em destaque no SAPO Blogs
pub