Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nenhures

Nenhures

Vasco Pulido Valente

vasco pulido valente.jpg

Ler os livros de Vasco Pulido Valente muitas vezes me indispôs. Mas nem sempre. Lembro-me do espanto com que li, há décadas, o seu "Estudos sobre a Crise Nacional" - textos escritos entre 1965 e 1970, mais ou menos, da sua juventude, sobre António Sérgio, António Vieira, etc.. "Caramba, que intelecto!", pensei, face àquela juventude já assim. Mas lembro-me também (e escrevo de cor) do incómodo com que li vários dos outros seus livros (falo dos mais literalmente historiográficos, não das crónicas sobre o agora): todos aqueles agentes portugueses, individuais e colectivos, me apareciam como dotados de uma ... incompetência, inabilidade. Excepto, claro está, o próprio historiador. Talvez esteja errado, seja apenas uma memória minha. Mas é a que ficou. Desse desagrado.

Com uma enorme e fabulosa excepção, este "Glória" que só li em 2014 (julgo que será para aí de 2000 ou perto), quando regressei de Moçambique. A biografia de Vieira de Castro, o político do terceiro quartel de XIX, líder estudantil de Coimbra, publicista, grande orador demagogo, deputado, criminoso, que morreu, já degredado, em Angola (correspondente de Camilo, e só depois de o ler isto descobri/reparei cá em casa o livro de bisavô das cartas que Castelo Branco lhe enviou).

Absolutamente profético, esse livro. Ou por outra forma, uma maneira absolutamente iluminada de usar a História para falar da actualidade. Para a esta dissecar. Como viemos, alguns de nós, a perceber. Outros não, continuam assim. Como ele tanto os desprezou.

Grande, enorme, Vasco Pulido Valente.

comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.